Tag dica de nutrição fala de manteiga X margarina


Bom tarde, meus amores tricoteiros!

A nossa tag dica da nutri a partir de hoje se chamará dica de nutrição, pois além das dicas da nutricionista Lívia França, que já colabora com o Bossa, vamos trazer impressões minhas como consumidora e dicas provenientes das minhas pesquisas jornalistas, assim a tag aparecerá mais vezes por aqui. Ótima noticia pra quem curte um estilo de vida mais natural e de vida simples, não é mesmo minha gente?!

Hoje vou falar do uso da manteiga X margarina. As informações são da própria @liviafrancanutri (segue lá), mas com meus pitacos. Gente ela diz que manteiga é mais saudável. Sim, é e eu já sabia disso, pois sempre tive o pé no campo na casa da minha avó Santana e também meu pai possuia sítio e eu tomava leite logo após a ordenha, comi muito queijo e muita manteiga feita ali no sitio com sabor ótimo e tudo sem aditivos, corantes ou conservantes químicos. Gente, minha avó morreu aos 98 anos e de velhice, tinha a pressão 12 x 8 e sempre comeu gordura de manteiga ou outras naturais como a banha de porco. Essa minha vivência me diz que o que nos adoece é o exagero e os aditivos químicos, isso sim. E margarina, via de regra, é gordura hidrogenada, que cola nas paredes das artérias e as entope. Então é mais legal usar manteiga que margarina, óbvio.

Hoje, luto para manter os níveis de colesterol e triglicerídeos em níveis aceitáveis para minha idade, não uso margarina, mas manteiga uma vez ou outra e prefiro óleos vegetais, como de oliva ou coco babaçu para cozinhar. Tudo com parcimônia e vem dando certo.

Sobre a manteiga, a nutricionista diz que além do sabor dela ser de um alimento, e não de um produto alimentício, contém ácido butírico (bom para a saúde metabólica e intestinal), vitamina A (antioxidante e facilitadora da digestão das proteínas), D e E. É um produto de origem animal, proveniente do leite de vaca. Contém basicamente 2 ingredientes: creme de leite (nata) e cloreto de sódio (sal).


Já a margarina não é alimento, é um produto alimentício, explica a nutricionista. Ela é proveniente da hidrogenação de óleos vegetais, ou seja, é gordura hidrogenada ou  trans. Contém em sua composição água, óleos vegetais líquidos e interesterificados, vitaminas, estabilizantes mono e diglicerideos de ácidos graxos e ésteres de poliglicerol de ácido riconoléico, conservantes benzoato de sódio e sornado de potássio, acidulante ácido cítrico, aromatizante (aroma idêntico ao natural de manteiga), antioxidantes e corantes urucum e cúrcuma.

Algumas dicas da Lívia França para o consumo de manteiga:

1. Nunca tenha margarina em sua casa!
2. Uma ótima opção para o consumo da manteiga, é clarificar ela, transformando em manteiga Ghee!;
3. Desconfie de lista de ingredientes gigantescas;
4. A manteiga pode ser adicionada na alimentação de indivíduos saudáveis de forma cuidadosa;
5. Opte por uma que não contenha sal nem aditivos. 

Espero que tenham gostado do post.
Até a próxima!

Drink mojito inspira o verão da The Body Shop

Olá!!



Esses dias passei em frente a loja da The Body Shop  aqui na capital e fui atraída pela novidade exposta na entrada da loja: a edição limitada de cuidados pessoais  criada para celebrar o Verão 2016. Intitulada  Mojito,  a linha é inspirada neste mundialmente famoso drink refrescante! Acho que super combina com o nosso eterno verão do Piauí e gostei muito das texturas leves e cheiro cítrico dos produtos. Assim deixam um frescor na pele, que me agrada.




A edição é composta por cinco produtos: body butter, shower gel, sorber hidratante, body splash e esfoliante em gel. Na composição  dessas belezuras estão ingredientes que brindam o verão, como o hortelã e o limão. 

Fotos: Blog Tricô com Bossa


Serviço:

- Os valores do produtos variam de R$ 42 (shower gel) a R$ 80 (esfoliante).
- A loja da marca está localizada no 2º piso do Teresina shopping.

O papel das emoções na relação com a comida

Oi, meninas e meninos

Hoje trago uma reflexão sobre a relação entre as nossas emoções, a comida e nosso peso. Escrevi esse artigo originalmente para o site da clínica Cuidarte (segue lá @clinicacuidarte), mas resolvi trazer esse bate-papo para cá por achar bem pertinente. Além de estar em uma fase de reeducação alimentar, ouço sempre dos meus pacientes com problemas de peso, seja para cima ou para baixo, o quanto  são afetados pelos emoções negativas, sentimentos de menos valia e culpa relacionados a  autoimagem e a balança. Então , vamos ao texto logo abaixo!


Vocês já repararam o quanto aquilo que ingerimos está ligado às nossas variações emocionais? Devorar um pacote de biscoito recheado compulsivamente, perder a fome por estar preocupado, ter ataques de gula e hiperfagia por estar triste são apenas algumas cenas, que nos sãos familiares e demostram essa relação.

O fato é que usamos a comida para nos punir e compensar, além dela ser o meio de nos nutrirmos de algo que falta em nós, que não é da funcionalidade do alimento em si, mas da ordem do subjetivo ou ainda podemos "vomitar" o que nos sufoca. Carência de afeto, culpa, ansiedade, revolta por não ser e/ou ter o que imaginariamente achamos que nos faria feliz. 

Como qualquer ser humano, algumas vezes já me peguei compensando uma frustração ou outra na alimentação. Ainda bem que não tenho tendência a obesidade, mas me observo para não exagerar, sem falar que a idade chega e se quisermos ter qualidade de vida é necessário adotarmos alguns hábitos.


Não vejo problema nenhum em nos compensarmos, pois também vivemos para ter prazer e comer nos propicia isto. Não é disso que se trata esse bate-papo, entretanto é importante percebermos nossa relação com a comida, pois quando ela é inadequada pode nos levar a desenvolver transtornos alimentares, como obesidade, bulimia e a anorexia.

Todos esses transtornos podem tirar não só nossa saúde física, mas minam também o nosso emocional e a autoestima. Então aqui entra a psicologia para nos ajudar. Se estamos com problemas e não estamos conseguindo virar o jogo sozinho, vamos mudar isso com a ajuda de um profissional e fazer um novo começo, voltar a comer sem culpa, ficar de bem com o espelho e com nós mesmos.

Para alcançarmos isso o primeiro grande passo é querer e ter em mente que cada um de nós é responsável por essa virada. O psicólogo, no caso, vai te ajudar a encontrar o caminho, que passa pelo autoconhecimento, superação de questões emocionais e conflitos, motivação, acolhimento e escuta da sua individualidade. O resto da estrada é escolher caminhos que faça você mudar de hábitos e ter uma nova relação com a comida, mundo e com você mesmo.

Espero que tenham gostado do post.
bjinhos e até a próxima

Barra Grande, o Bossa na estrada

Olá, meus amores tricoteiros!

Vim contar sobre o vilarejo de Barra Grande. Pra quem é do Piauí, sabe  que o local é um povoado de Cajueiro da Praia e quem é de fora do estado já ouviu ao menos falar desse "novo" destino turístico bombado aqui no Nordeste. Pois bem, já estive lá algumas vezes (quatro para ser exata) e a cada vez que vou me apaixono mais um pouco e hoje o post é para reportar acerca de minhas impressões de lá.


A praia é linda, plana, rasa, ótima para tomar banho em suas águas mornas, velejar  de kitesurf (para os aventureiros e que têm braço...hahahhaa) ou simplesmente apreciar a paisagem e o por do sol largado na areia ou muito bem acomodado em pufes nos bares das pousadas em frente ao mar.



Para quem não sabe, a praia é hoje uma das mais procuradas do país pelos amantes do esporte de deslizar sobre as ondas numa prancha  presa aos pés e manobrando uma pipa. Isto pelos ventos constante e favoráveis. Há escolas do esporte no vilarejo e a média de preço pelo curso é de R$ 1.600 (R$ 160 a hora aula)




Nunca fui para ficar hospedada em Barra Grande, fico no município de Luís Correia e geralmente tiro um dia da trip para desfrutar dos encantos do lugar. Desta vez chegamos cedo e nos acomodamos em um bar simples logo na entrada da praia, o Bar do Tutuca. Com pratos fartos e preço ok (pasmem que na praia do Coqueiro, onde fiquei hospedada, a refeição, petiscos e bebidas são bem mais caros do que em Barra Grande, que é o destino hypado do momento. Então #ficaadica.

Os bares e restaurantes são para todos os bolsos e gostos. Este é simples e mimoso

Passamos a maior parte do dia no bar do tutuca, já depois do almoço e com o sol baixando, eu e minha turma, fomos conhecer o bar e dar uma geral numa das mais antigas pousadas do lugar e que adota o conceito de construção mais 'natural' e típica do Piauí, usando a simplicidade como requinte. 

Trata-se da BGK. E quando cheguei lá pedi para fotografar e andar pela áreas comum da pousada e o garçom me indicou falar com a Relações Públicas do local, a Carol. Ela é paulista e me contou que era blogueira no estilo mochileira, mas voltando de uma aventura pelo Nordeste, ela e o marido se encantaram pelo local e por lá ficaram. O boy dela é instrutor de kite. Carol prontamente recebeu a mim e minha irmã e nos mostrou o local, que conta com vários tipos de chalés para a hospedagem, a começar pelo que deu origem ao empreendimento: a  antiga casa de praia de um dos donos.Trata-se de uma moradia redonda toda branquinha e de janelas azuis.


Detalhes do banheiro da área do bar da pousada

A RP nos contou que o hotel pertence a família piauiense Ibiapina. "Eles recebiam amigos em sua casa, mas as visitas ficaram tão constantes e volumosas que passaram a cobrar taxa de café da manhã e refeições para dar conta de atender a todos. Assim se transformou em hotel", disse a relações públicas.

Me encantou  a arquitetura simples que usa taipa e abusa de madeiras e palhas da região, como a carnaúba. O colorido nordestino está presente também em portas e janelas. Encontrei no banheiro feminino do bar com cobertura de palha um forro de chita. Isto mesmo. Achei tão lindo e original!


Fotos sem marca d'água créditos: Adriana Lemos

De uma outra vez que estivemos no povoado conhecemos a noite do lugar e experimentamos um dos bares do vilarejo, o  Manga Rosa. As ruazinhas lembram em arquitetura e diversidade de cores e sabores as do vilarejo de Jericoacoara, no vizinho Ceará, mas com menos agito.

Nessa visita recente encontrei duas boas histórias de personagens desses paraísos praianos, o Vinicius e o Sebastião. O primeiro é mineiro, filho de um caminhoneiro com uma hippie e o segundo cearense, da cidade de Camocim. Ambos passaram por mim com artesanato em palha e, instigada pelo meu irmão - que é meu fotógrafo, crítico e incentivador do blog - fui atrás deles para conhecer o trabalho e me contassem suas histórias.

Sebastião abriu o sorriso quando falei que conhecia sua cidade e que tinha passado pelo seu povoado indo para Jericoacoara pelas dunas. Descobrimos até que tínhamos um conhecido comum, o guia que contratamos em Camocim para nos guiar até Jeri há um ano. Que mundo pequeno, né?



Essa história levou a outra bem interessante do Vinicius sobre a arte do trançado. Ele disse que já trabalha com palha há 12 anos, viu muita coisa na estrada e aprendeu com elas, como a arte utilitária de índios no Pará, que ele incorporou a seu trabalho e ensinou ao Sebastião. Mas indagado sobre o que aguça sua criatividade para criar peças originais como os peixes das fotos acima, ele me disse: viajar é que me faz criativo.

Com esse pensamento anotado encerrei minha entrevista e já com vontade de novas viagens para poder contar mais histórias bacanas e enriquecer meus textos e minha bagagem.

Podem conhecer mais sobre Barra Grande nos links e instas abaixo

Barra Grande

Pousada BGK

@vemprabarra
@barragrandepi

Tendências ao mar!

Bom dia, meninas!
Depois do hiato do carnaval estou de volta! hahahaha e com as tendências em estilo e moda nas areias do atlântico sul. Estive viajando para o litoral do meu Piauí e por lá vi a volta das cangas e ainda o acessório do momento, que são as chokers de búzios e palha/linha com macramê (os preços dessas variavam de R$ 25 a R$ 50), mas garimpei outras tendências em acessórios com a pegada marítima, sendo em rodio ou prata, além das cangas redondas, que estão bombando no verão brasileiro. Abaixo segue uma montagem que fiz com coisas que meus olhos brilharam. E vocês, já aderiram à moda?! bem, quanto a mim acessórios marítimos são meu fraco, mas confesso que achei caro o colar artesanal e já meio enjoado, prefiro os acessórios mais bem acabados em prata que trazem elementos como conchas, estrela do mar, ondas. Tenho um pingente em forma de rabo de baleia (só me falta achar onde ele está..rssss) e sobre a canga redonda vou providenciar uma para chamar de minha!

Fotos da montagem são do Pinterest e Google 
Lojas que vendem a tendência e achei na minha pesquisa: 
@anazulmajoias 
@donaoncinha
@afago

Testei o blur mágico da L'oréal

Oi, meninas tricoteiras!

Sei que o blur mágico da Loreal não é mais novidade, mas só agora há uns dois meses adquiri o produto e fui testando. E posso afirmar que é um dos melhores primes que já usei. O produto traz na embalagem que ele é um alisador instantâneo da pele e pode ser usado diariamente após os cuidados de beleza com o rosto, mas eu faço uso da segunda indicação, que é como base para maquiagem, ou seja, prime.

Foto: Tricô com Bossa


Os poros ficam fechadinhos e dá mesmo aquele efeito do pincel de desfoque suave do photoshop, só que na pele ao vivo e não na foto. Recomendo e ele tem um preço justo. Comprei o meu em uma farmácia.

Em tempo: já conhecia outros dois produtos da linha Revialif, o creme anti age noturno e o rollon para as áreas dos olhos. Ambos havia comprado há tempos para meus cuidados diários com a pele e também aprovei os produtos. O único senão é quanto ao creme, que deixa minha pele oleosa! (já falei dele aqui no blog, é só procurar no baú do Bossa)

Sobre o blur:  Aprovado e recomendado!

Vocês já usaram? contem pra mim o que acharam!

Look de carnaval inspirado na rainha do mar

Oi, meninas tricoteiras!

Vim mostrar o look completo que usei no Corso de Teresina, no último sábado. Sim, vai ter post pós evento, afinal ainda dá pra se inspirar e fazer seu figurino em casa para cair na folia do carnaval. Gosto dessas festas de rua, pois é democrática, não tem de pagar para ficar em camarote ou bloco, só se quiser e puder. Se você tem grana vai em um carro, caso não tenha pode ir ver o movimento na rua e se divertir do mesmo jeito. Não aluguei fantasia, pois a crise  não permitiu então usei o que tinha em casa e nem por isso fui de qualquer jeito, mas pode ir sem fantasia também. O importante é curtir a parada, né não?! assim me montei de rainha das águas, Iemanjá, e fui festejar a alegria e a brasilidade junto com parte de minha família. No post anterior ensinei a fazer a coroa e a braçadeira para compor o visual, o resto foi pegar um vestido branco que já tinha no armário, fazer uma make de sereia e estava pronta! Claro que registei tudo pra mostra a vocês.



O vestido é frente única e tem uma pegada marítima também