Prévia da postagem sobre o Marrocos

Gente, meu colaborador aqui no blog sobre viagens e fotos, o Jefferson Lemos, recebeu um ultimato sobre a colaboração acerca de suas andanças pelo mundo..hahahaha..ele faz fotos lindas e se interessa pelo lado cultural/gastronômico por onde anda. E  esse também é meu foco. Sua mais recente aventura foi na Africa, precisamente no encantador Marrocos, que só pela culinária e influência árabe (o país é mulçumano) já vale uma visita, na minha opinião e pelo meu gosto. Como sabem, sou apaixonada pela cultura árabe no que diz respeito a culinária, a dança, o lado da moda com veus, kaftans e tunicas, além da parte de decoração com seus mágicos tapetes e etc. Tenho um livro dedicado só a culinária marroquina, além de várias coisinhas relacionadas a dança do ventre...então, depois do ultimado, ele me prometeu sem cruzar os dedos que me enviará fotos inéditas de lá, e aí farei um post com dicas do lugar e seu circuito cultural. Mas enquanto isso não acontece irei postar receitinhas tradicionais da cozinha do Marrocos e fotos já publicadas pelo viajante em seu facebook de Marrakech, a cidade vermelha.

As receitas que escolhi pra compartilhar foram tiradas do livro Cozinha pelo mundo - Marrocos, da editora Abril, que aliás traz um pouco  da história do Norte da África, que conto a seguir:  O norte da África é uma região de terras fertéis e ja abrigou diversos povos como os fenícios, cartagineses, romanos, árabes e colonos europeus, ainda assim os berberes (os nômades do deserto do Saara) conseguiram manter suas tradições, muito por conta das condições geográficas. A gastronomia marroquina é um exemplo da cultura dos berberes. Boa parte dos ingredientes, como o mel, favas, as lentilhas e o trigo, têm origem nos hábitos alimentares das antigas tribos, mas há a influência de outras culturas. Os fenícios levaram as azeitonas e uvas, enquanto os romanos transformaram o país e contribuíram com os cereias, já os árbaes ensinaram aos africanos o estilo persa de cozinhar, que consistia no uso de especiarias, na combinação de sabores e no gosto acentuado por nozes, tâmaras e doces. Mas não podemos esquecer das influências dos mulçumanos e judeus expulsos da Espanha e que se refurgiram lá. Com eles chegaram ao país as pimentas, as batatas, os tomates, o azeite e as frutas cítricas. Houve ainda influências do império Otomano com os assados e churrascos. Já os franceses deixaram como legado as sobremesas. Entre os prátos mais tradicionais estão o cuscuz marroquino e o tejine, um cozido de carne, verduras e legumes, preparado em um recipiente de barro com tampa cônica. O pão também é um ingrediente fundamental das receitas marroquinas e outra iguaria popular é o chá de menta.






Nenhum comentário